Santa Luzia do Itanhi se torna palco das comemorações do Bicentenário da Emancipação Política

 O Governo do Estado e a Comissão do Bicentenário de Sergipe realizaram neste sábado, 29, na cidade de Santa Luzia do Itanhi, uma celebração alusiva aos 445 anos do primeiro ato litúrgico ocorrido em território sergipano. Através de uma agenda de comemorações, o Governo, por meio da Fundação de Cultura e Arte Aperipê (Funcap), irá desenvolver várias ações alusivas aos 200 anos da Emancipação Política de Sergipe durante todo o ano.

Presente na solenidade, o governador Belivaldo Chagas, enalteceu a importância do município. “É positivo relembrar fatos históricos e, principalmente, que envolvem a comunidade local. O evento destaca sobre as primeiras povoações do estado e, que pelos registros, o município sediou o primeiro ato litúrgico desenvolvido pelos jesuítas. Dentro da programação, estão inseridas várias atividades baseadas na promoção cultural e de resgate histórico”. 

Bandeirolas e broches foram compartilhados com o público que prestigiou a ação no qual, estampavam a imagem da bandeira de Sergipe. Esse item se tornou um dos destaques do cortejo que saiu da Praça da Matriz em direção ao Santo Cruzeiro. No local, foi executado ainda, o descerramento de uma placa comemorativa. Os grupos folclóricos Batucada Buscapé (Estância), Tambores do Futuro (Santa Luzia do Itanhi) e o índios Xocó também participaram da festividade. Ao final, uma missa foi celebrada na igreja matriz com a participação do bispo Dom Giovanni Crippa, acompanhado da Orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE) e o Coral da Deso.

“Nós estamos aqui dando evidência a um registro histórico e revivendo um marco de quase meio século, pois com a instalação do Santo Cruzeiro foi possível desenvolver os trabalhos de catequese naquele período. Estou muito satisfeita em compartilhar com a população de Santa Luzia a celebração do bicentenário”, afirmou a presidente da Fundação de Cultura e Arte Aperipê (Funcap), Conceição Vieira.

Édison Cruz, prefeito do município, parabenizou o evento. “A solenidade permitiu a valorização do povo e, ainda, a divulgação da potencialidade desta região na história de Sergipe”, frisou. 

De acordo com o historiador, Wilton Santos, Santa Luzia permaneceu por muito tempo isolada mesmo com o poder que possuía. “O município mesmo bem resumido e vivendo por bastante tempo isolado, tinha um grande poder sobre Estância e Indiaroba. É válido lembrar que São Cristóvão possui um acervo histórico maior, mas isso não tira o mérito e a importância da região”, explica.

Shows

A Rural do Forró e Bob Lelis comandaram os shows ao final do evento. “Acompanhei a festa desde o início e achei belíssima. Fiquei muito feliz em participar do cortejo, da missa e ao final me divertir com os shows. Minha cidade merecia essa homenagem”, concluiu a funcionária pública e moradora local, Maria do Carmo de Jesus.

Fonte : Funcap

Notice internal 0da192de40931928

Anunciantes