Cover city abc10d71ab94ac1b

BREJO GRANDE

Diz o dito popular que quem conhece a foz do rio São Francisco, na divisa entre os estados de Sergipe e Alagoas, mais precisamente em Brejo Grande, confirma que Deus é Brasileiro. Se a máxima é uma lenda e não pode ser confirmada, afirmar que o Divino foi caprichoso e generoso com a região não é difícil.

Distante 137km de Aracaju, Brejo Grande é cenário de beleza às margens do rio São Francisco. O privilégio de está bem na foz do rio e ser abençoado com diversas ilhotas e exuberante diversidade da flora brasileira, faz do município uma agradável surpresa.

Ainda na sede municipal, no atracadouro fretam-se embarcações para todos os gostos e custos, desde catamarãs, veleiros e pequenas embarcações, até uma secular canoa de tolda.

O cenário é desenhado por matas ciliares, contrastando com vegetação litorânea e dunas, em meio às águas doces e esverdeadas do Velho Chico. Um espetáculo natural singular de um dos principais destinos turístico sergipano: a foz do São Francisco.

A primeira vista de quem se depara com a magnitude do rio é entrar nos contos seculares sobre o Velho Chico, ao se deparar com as lendárias lavadeiras à beira-rio. Poesia e contos estão presentes nessa viagem. A parada para o banho, o surfe nas dunas e a compra de artesanato em barraquinhas móveis incrustadas num banco de areia são obrigatórios. Segundo os artesãos, o visitante deve comprar a imagem de São Francisco vendida na localidade e banhá-la nas águas do rio, ou seja, “benzer e batizar” e fazer três pedidos. O santo agradece realizando todos eles.

* Prefeitura Municipal de Brejo Grande- 79 3366-1250

CURIOSIDADE - Lavadeiras do Velho Chico

Attraction category big 2c8659c171f7f8ad

O ofício de lavar roupa à beira do rio ainda é resguardado por centenas de senhoras na região ribeirinha do Baixo São Francisco. Elas acordam cedo, com o raiar do “sol do Chico”, pega o sabão negociado com a patroa e parte com as trouxas de roupa na cabeça para a beira do rio. Juntos com elas mantêm-se a tradição de “bater a roupa” na pedra e deixá-la “quarar”. O colorido das roupas na pedra quarando ao sol é um cenário de encher os olhos a beira das águas esverdeadas do Velho Chico. A paisagem é emoldurada por crianças que brincam na água e embarcações centenárias.

Anunciantes