Cover city 6e2358202d0ce4f3

SANTA LUZIA DO ITANHI

O município de Santa Luzia do Itanhi está localizado na região sul-sudeste do estado de Sergipe a 76 km da capital Aracaju, limitando-se a Sul com o município de Indiaroba, a sudeste com Umbaúba, a noroeste com Arauá, a norte com Estância e a oeste com Itabaianinha. Sua área de extensão territorial compreende 325,732 km², sua população é de aproximadamente 12.969 habitantes, seu nome é uma homenagem a Santa Luzia e o complemento "Itanhi" vem do nome dado pelos índios Tupinambás ao Rio Real. Em toda sua extensão territorial podem ser identificados 48 povoados. A cidade de Santa Luzia do Itanhi é umas das povoações mais antigas de Sergipe, ficando em lugar de destaque devido às marcas deixadas pela história, contribuindo para o enriquecimento da cultura do povo e está inserida na APA litoral Sul, importante unidade de conservação e a existência de Reservas Particulares de Patrimônio Natural. A cidade de Santa Luzia do Itanhi contempla 07 engenhos com 01 alambique onde é produzida a Cachaça Reserva do Barão. A área também possui uma identidade gastronômica voltada para pratos com frutos do mar, doces e outros elementos da culinária nordestina.      

A única via de acesso federal em Santa Luzia do Itanhi é a BR-101, rodovia que corta o Brasil no sentido Norte-Sul. Além da via federal existem também seis vias estaduais: SE-368, SE-285, SE-290, SE-475, e SE-444, que interligam o município aos seus povoados e a municípios vizinhos. O município tem como principais fontes de receita a agricultura, a pecuária e a avicultura.

 

Eventos programados

O município de Santa Luzia do Itanhi possui diversos eventos fixos, que ocorrem tanto na sede quanto nos povoados do município como: Carnaval (presença dos caretas), Festa de São Sebastião (Povoado Botequim), Festa do Senhor do Bomfim (Povoado Cajazeiras), Festas Juninas, Emancipação de Santa Luzia do Itanhi, Festa dos pescadores ( Povoado Crasto), Festa da Padroeira.

* Prefeitura Municipal de Santa Luzia do Itanhi - 79 3548-1432

Engenhos

Attraction category big 115c2cd9ee762878

Engenho Antas

Attraction 4f6243283ce5df23Foto por: Márcia Jamile

Teve sua primeira escritura lavrada no ano de 1825, em nome de Manoel da Trindade Braques. O conjunto arquitetônico era composto pelo engenho, uma capela e três casas, das quais a mais antiga era assobradada, implantada no alto de uma encosta que emolduram o vale. As vias de acesso ao engenho dão-se pela Rodovia 247e pela BR101 adentrando os povoados Bom Viver e Tapera. A rodovia 247 e a BR101 está em boas condições, a estrada de chão que dar acesso ao engenho é estreita e possui muitas curvas, mas o tráfego é tranquilo, somente a sinalização das estradas exige um cuidado maior.

Engenho Cedro

Attraction b916690a3095fa8bFoto por: Sirleila

 Possui uma das mais antigas tradições patrimoniais de Sergipe, pois sua propriedade permaneceu restrita a apenas duas famílias. "A primeira escritura do Engenho Cedro remonta a 1815, em nome de José de Bittencourt Calazans e Dona Antonia de Vera-Cruz Braque. A propriedade, por herança, passou para seu filho, o Tenente-coronel Joaquim José de Bittencourt Calazans, na primeira metade do século XIX. O acesso ao engenho dá-se de dois modos, o primeiro inicialmente pela BR101 sentido a cidade de Umbaúba, pegando uma estrada de chão batido até chegar ao engenho, já o segundo é pela SE 247, passa pelo engenho Antas, localizados no povoado Tapera e Bom viver, onde tem um acesso a uma estrada de chão beirando a mata até chegar ao engenho. Apesar de ser estrada de chão, a mesma está em boas condições, sendo possível trafegar tranquilamente. Quanto a estrutura da fazenda somente duas casas estão em condições favoráveis, uma do caseiro e a casa grande, as outras casas, o engenho e a antiga senzala estão em ruínas.

Engenho e Fazenda Castelo

Attraction a430923f5972e0a9Foto por: Carlos Augusto

Localiza-se geograficamente vizinho à cidade de Estância e justaposto à cidade de Santa Luzia do Itanhi. Na propriedade do engenho havia escola, banda de música e até um jornal, "O Pirilampo", um importante ponto de referência cultural para a época. Em 1964 a usina Castelo encerra a sua produção e em 1989 a propriedade é vendida, a qual atualmente é explorada com pecuária. O conjunto arquitetônico do Castelo é um dos mais preservados da memória açucareira sergipana e seu acesso é dos mais bem conservados dos engenhos. A boa conservação do local é observada desde a área externa da fazenda - onde se pode avistar as chaminés do antigo engenho de açúcar – até o interior do casarão. A antiga casa impressiona pela arquitetura super conservada, enormes e detalhadas pinturas em diversas paredes dos salões e móveis dos séculos XVIII e XIX encontrados em quase todos os cômodos.

Engenho Ferro

É muito antigo e foi mantido pelos escravos. Seu primeiro dono teria sido o Major Libânio Cardoso de Menezes. A propriedade torna-se usina no início da década de 20 deste século, quando a moenda passa a operar com tração mecânica, funcionando até o inicio dos anos 50. A propriedade foi posteriormente agregada a outra, de nome Santo Antônio. A Fazenda Santo Antônio foi depois vendida à Indústria Amido Glucose S/A, sediada em Estância, e o Engenho de Ferro, ao Sr. Jorge do Prado Leite, que ali administra uma fazenda de gado.

Engenho Priapu

Transformou-se em usina a vapor desde a segunda metade do século XIX e integrava, junto com o engenho Félix Independente, um complexo industrial açucareiro. "O Priapu foi a penúltima usina a fechar na região sul de Sergipe e nos últimos dez anos, sob a propriedade da família, as terras destinaram-se à criação de gado. Com a desapropriação do Priapu contam que a casa grande, abandonada, foi sendo aos poucos desmantelada pelos sem-terra para reaproveitamento de seu material no assentamento rural vizinho, desmantelando-se com ela, a memória de um lugar que, no passado, abrigou pujante atividade açucareira.

Engenho São Felix

Attraction 7f130c79e690a3deFoto por: Sirleila

 Foi fundado em 1632 por um ancestral dos Vieira, família que até hoje administra a propriedade. Nas primeiras décadas do século XIX era seu proprietário o Tenente-Coronel Paulo de Souza Vieira. Sua esposa, D. Joaquina Hermelinda da Costa, após enviuvar, contrai em matrimônio José de Oliveira Leite, o Barão de Timbó. O engenho foi inicialmente movido à roda d'água produzindo açúcar mascavo. Em 1914, tornou-se usina, passando a produzir açúcar cristal. Suas máquinas pararam entre as décadas de 60 e 70 deste século. Esse engenho é um dos mais conservados existente no território de Santa Luzia do Itanhi, o acesso ao mesmo está em boas condições devido a sua localização se encontrar à beira da rodovia Camilo Calazans, que dá acesso a linha verde. Da sede do município de Santa Luzia do Itanhi para o engenho são apenas 2 Km. No seu interior, o acervo existente está em ótimas condições tanto a casa grande como o antigo engenho, a senzala e as casas dos benfeitores.

Engenho São José

Attraction b815f59aaf7bbf24Foto por: Sirleila

 Dele existiam 9.000 hectares de terras e atividade produtiva com abrangência regional, hoje apenas 5% da área do antigo engenho São José, 450 hectares, remanescem de sucessivos desmembramentos da propriedade por divisões de espólio, sendo parte explorada com criação de gado e parte ainda recoberta com vestígios de Mata Atlântica. O acesso ao engenho é pela rodovia 247, passando pelos povoados Priapu I, Priapu II e Pau torto, a estrada é de chão batido, muito estreita, mas em ótimas condições de tráfego. A estrutura do antigo engenho está em ruínas, somente a casa grande e casa do caseiro, que cuida da propriedade, está em condições favoráveis. 

Anunciantes