POÇO REDONDO

       

Município integrante da Rota do Cangaço, distante 174km de Aracaju, Poço Redondo localiza-se no território do alto sertão sergipano e revela-se como um convite para desvendar o fascinante universo do fenômeno social do Cangaço, das regiões áridas do nordeste brasileiro, com suas tradições folclóricas e bioma de Caatinga.

 

 O município possui cerca de 34.775 mil habitantes (estimativa do IBGE 2019) e está situado na microrregião do sertão. Os elementos da paisagem natural em Poço Redondo, por constituírem um belo e diversificado conjunto de atrativos, revelam-se com um forte potencial para as práticas de ecoturismo, turismo de aventura, turismo rural, cultural e de base comunitária, principalmente, por possuir 23km de extensão territorial banhado pelo São Francisco, com suas praias, cachoeiras, furnas, piscinas naturais, a Serra da Guia , sítios arqueológicos e paleontológicos.

Devido ao fenômeno social do Cangaço, que aconteceu na década de 1930 no Nordeste, e por Poço Redondo ter contribuído com a maior leva de jovens (rapazes e moças) para o grupo de Lampião e também por ter hospedado, por vezes, os integrantes do Cangaço, entre os anos de 1929 a 1938, a cidade é conhecida regionalmente como a Capital Sergipana do Cangaço. 

 

* Informações: (79) 99612-1473

 

Textos: Bruno Marques da Cruz- Turismólogo (79) 99846-3585       

ATRATIVOS TURÍSTICOS

Cachoeira Bom Jardim

Foto por: Júnior Alves Dantas

Localizada a 10km da sede municipal, chega-se a partir da fazenda Bom Jardim, quando já é possível ouvir o ronco das corredeiras da cachoeira, com queda d'água de 10m de altura, por 35m de largura. E, durante alguns períodos do ano  com a chuva, o rio aumenta a sua vazão,  contribuindo para o aumento das águas da cachoeira

Cachoeira Furna da Floresta

Foto por: Ancelmo Bless

Para chegar a esse atrativo, é necessário deslocar-se por cerca de 10km da sede.  A cachoeira Furna da Floresta é banhada pelo rio Jacaré e possui uma queda d’água com cerca de 15m de altura, uma piscina com aproximadamente 4m³  e  profundidade se de 3 a 5m. Segundo antigos moradores da região, Lampião e seu bando, em épocas de vazão, refrescavam-se nas águas dessa cachoeira.

 *ATENÇÃO, ESTA CACHOEIRA FICA DENTRO DE UMA PROPRIEDADE PARTICULAR, NÃO É ABERTA AO PÚBLICO. VISITAÇÃO SÓ COM AUTORIZAÇÃO PRÉVIA.  (79) 99846-0453

Monumento Natural da Grota do Angico

Sede do Monumento Natural Grota do Angico
Foto por: Silvio OLiveira

Local da morte de Lampião, Maria Bonita e mais nove Cangaceiros, ocorrida no dia 28 de julho de 1938, atualmente esse atrativo conta com uma boa infraestrutura de trilhas, em uma área de preservação ambiental e cultural, administrada pelo Governo de Sergipe, denominada de Monumento Natural Grota de Angicos (MONA), além do Parque Ecológico Angicos e do Cangaço EcoParque, ambos às margens do Velho Chico. 

O MONA está situado a cerca de 3km da sede do município. E, para chegar-se à Grota, percorre-se, a partir dele,  uma trilha de 1,5 km, em meio ao bioma da caatinga.

 

Povoado Bonsucesso

Foto por: Internet

Localizado a 26km da sede municipal, o povoado Bonsucesso data do século XIX. Nesse povoado ribeirinho, destaca-se um casarão com características inerentes à arquitetura barroca de 1887. Sua fachada principal volta-se para o rio São Francisco e em suas águas é possível praticar esportes  e várias atividades de lazer, além do delicioso banho . No período colonial, escravos negros construíram muros de pedra.  Em frente ao povoado, encontra-se a Ilha do Ferro (Pão de Açúcar-AL) com um cemitério de navios, com destaque para o naufrágio da embarcação Moxotó  (conhecida como “Titanic do Brasil”), em  1917.

Povoado Curralinho

Igreja Nossa Sra. da Conceição
Foto por: Antônio Samarone

Povoação oriunda do século XVI através da labuta e instalação de currais à beira do Velho Chico. Curralinho equivale a “curralzinho”.  Por seu porto chegavam as canoas repletas de carne do sol, couros, queijos e manteiga da terra. Localizada a 15km da sede municipal, segundo a tradição, ao passar por Curralinho, o beato  Antônio Conselheiro, no ano de 1874, animou o povo a restaurar a igrejinha de Nossa Senhora da Conceição e murar o cemitério. A passagem do beato por esta povoação, por si só, configura-se em um  atrativo  turístico.

Serra da Guia

Foto por: Bruno Marques da Cruz

A 42 km da cidade de Poço Redondo encontra-se a Serra da Guia, área contínua de mata tropical, com espécies de 15 m de altura e hospedarias de orquídeas Labiata. É um dos pontos mais elevados do território sergipano,  atingindo os 750 m. Para quem gosta de aventuras e deseja chegar ao topo, existe uma trilha que só permite a passagem de pedestres, montarias e motocicletas.

Aos  750 metros de altitude, na Serra da Guia, é possível encontrar resquícios de comunidades negras da época da escravidão no Brasil, e no seu topo, um orquidário selvagem, raro para a região semiárida.

Atualmente, 200 famílias formam o Quilombo da Guia. Na comunidade também mora Dona Zefa, famosa parteira e rezadeira. Seu terreiro é visitado por muitos seguidores que buscam orientação e alívio de mazelas através das intercessões desta xamã quilombola.

 

Sítios Paleontológicos

Foto por: Cláudio Barbosa

O município de Poço Redondo concentra os maiores achados da Paleontologia em Sergipe. O Sítio do Charco é um deles e dista 8km da sede do município. Nesse local só é possível a observação dos fósseis da megafauna, sobretudo do Eremotherium Lourillardi ou preguiça gigante, como é popularmente conhecida, durante o verão. No início de 1998, foram encontrados os primeiros fósseis paleontológicos de mamíferos que habitavam a região por volta de 11mil anos AP (Antes do Presente), durante o período Pleistoceno.

Anunciantes